domingo, 9 de junho de 2013

Um Poema a Lilith

No livro “O Oráculo da Deusa”, há um belo poema sobre Lilith, que expressa bem suas características:

Lilith Eu danço a minha vida para mim mesma
Sou inteira
Sou completa
Digo o que penso
E penso o que digo
Eu danço a escuridão e a luz
O consciente e o inconsciente
O sadio e o insano
E falo por mim mesma
Autenticamente
Com total convicção
Sem me importar com as aparências
Todas as partes de mim
Fluem para o todo
Todos os meus aspectos divergentes tornam-se um
Eu ouço
O que é preciso ouvir
Nunca peço desculpas
Sinto os meus sentimentos
Eu nunca me escondo
Vivo a minha sexualidade
Para agradar a mim mesma
E agradar aos outros
Expresso-a como deve ser expressa
Do âmago do meu ser
Da totalidade da minha dança
Eu sou fêmea
Sou sexual
Sou o poder
E era muito temida.
Lilith e Eu
Este texto todo é uma carta de amor à Lilith que habita em mim – ou será que sou que habito nela?
Eu a vejo não como uma coisa separada de mim. Não a vejo como um aspecto meu; mais que nada, eu sou um aspecto dela. Digamos que eu sou uma expressão dela, sou uma das faces dela no mundo físico.
Não que eu creia que Lilith (ou qualquer das outras deusas) é um ser como o Deus católico, um ser personificado, individual e com consciência própria.
As deusas, neste caso, são arquétipos e forças primordiais: “energias”, por assim dizer, que se expressam através dos seres humanos.
Uma metáfora para explicar melhor meu pensamento, seria comparar essa energia com a energia elétrica: nós somos os fios, tomadas e aparelhos que a conduzem e funcionam através dela.
A energia de Lilith me guia e me protege.
Ela permite que eu saiba me defender, e defender meu espaço; que eu tenha força para vencer as batalhas necessárias, e intuição para perceber quando estou em perigo.
Lilith é quem faz com que eu saiba meu exato valor – nem mais, nem menos.
Ela também me mostra o valor real e exato das outras pessoas, vendo além das aparências e do status social.
Ela me mostrou que os lugares escuros do meu mundo interior nem sempre estão ligados ao mal, e me ensinou a caminhar por esses lugares escuros.
Ensinou-me a aceitar todos os aspectos e todas as partes de mim mesma, sem relegar nenhuma dessas partes ao esquecimento.
Ensinou-me a olhar para os demônios que guardo em mim, e a não temê-los; mas nomeá-los, reconhecê-los, e lidar com eles diretamente.
Ela é quem permite que eu diga não, que eu vire as costas e vá embora, quando me vejo em uma situação abusiva ou que não é apropriada para mim; assim como ela fez, abandonando o Éden.
Eu poderia falar e falar, listando todas as coisas que se expressam em mim através de Lilith; ela permeia todos os aspectos do meu ser, principalmente aqueles através dos quais eu atuo no mundo exterior.
Lilith me confere força, poder, intuição e sabedoria.
Ela sabe o que é certo e o que não, o que é apropriado e o que não.
Para finalizar, proponho: recupere sua Lilith.
Mesmo que ela não seja sua deusa principal, os benefícios de tê-la presente em sua vida são extraordinários.
MM


CHAKRAS

Chakra é uma palavra sânscrita, significando “roda”. São os centros de junção dos canais

energéticos (nadis) que percorrem os corpos que nos constituem.

Os chacras são órgãos espirituais localizados no Duplo Etérico. São os alimentadores energéticos do

Corpo Físico e responsáveis pela reciclagem das energias perispirituais.

São vórtices com diâmetro entre 5 e 6

centímetros, que trabalham com outros elementos
semelhantes, os chamados Centros de Força, que estão localizados nas mesmas
posições do Perispírito. Esses Centros de Força, no Perispírito, captam as
vibrações do Espírito e as transfere para o Corpo Físico.

Cada chakra tem uma cor própria e sua tonalidade varia de acordo com o estado psicossomático da pessoa.

Pessoas bem desenvolvidas espiritualmente têm chacras maiores do que aquelas de
um grau menor. Nestas pessoas, eles são amplos e brilhantes e podem chegar a 10 cm de raio. Pessoas muito
materialistas têm chacras com cores mais escuras, opacas e diâmetro reduzido.

Os chakras absorvem energia astrológica, etérica, solar e dos oceanos, de magnetismo (Prana) que corre

entre os pólos do globo terrestre, e trazem para a intimidade dos corpos os
elementos de que necessitam para a vida interna.

Para gozar de boa saúde, o ser humano deve manter sempre os seus chacras equilibrados. Eles determinam a

saúde física e espiritual.

Para mantê-los em permanente equilíbrio, deve-se cultivar o pensamento positivo, estar sempre de

bom humor, evitar o stress, ficar em contato com a natureza, meditar, evitar
atitudes egoístas, cantar, sorrir, amar e ser amado, não ter inveja, cobiça ser
útil amável e acreditar que é um ser espiritual em evolução e buscar a sua
perfeição.

O Plexo Solar, muitas vezes confundido com um chakra.

Na verdade, o Plexo Solar está na mesma
dimensão e importância dos Chakras.
Ele realiza, na parte física, o trabalho de
captação de energias ambientais, alimentares e telúricas. Através dele, são filtradas e remetidas ao Perispírito para serem purificadas e, através dos Chakras e Plexos, transformadas em energias físicas ou nervosas.
O Plexo Solar é um poderoso filtro que só permite a passagem de energias positivas para o Perispírito.
Tem a forma de um losango cônico.

O seu trabalho de captação e filtragem das energias estará sempre condicionado ao estado e

fatores mentais da pessoa.

Existem cerca de 1.300 chacras no corpo humano, sendo 7 principais:

Os Chakras Principais:

Coronário

Sahasrara2
Nome Sânscrito: SAHASRARA

Cor: Violeta e Branco.

7º Centro Energético (Chakra da Coroa/ Topo da Cabeça)

Localização: topo
da cabeça, moleira. O 7º chakra irradia para cima, em direção ao céu.
Polarização: nenhuma. Funções: integra em si próprio os estados dos seis
principais chakras inferiores e organiza suas interações; abertura para o
divino; trabalhar para o benefício de toda a criação; realização da nossa
própria divindade; trabalho com oráculos; insight para o plano cósmico; magia
natural (criação da realidade construtiva, cura, ensino sem as técnicas
necessárias, contato direto, esforço considerável, ou decisões da vontade).
Órgãos relacionados e suas funções: glândula pineal, crânio e cérebro.

O Chakra Coronário fica situado no alto da cabeça e é o mais importante, por captar as energias

Espirituais. Faz o elo entre a mente Espiritual e o cérebro físico. É o responsável pela sede da consciência do Espírito encarnado.

Frontal

Ajna-Chakra
Nome Sânscrito: AJNA
Cor: Violeta escuro

6º Centro Energético (Chakra Frontal/ Terceiro Olho)

Localização:
aproximadamente dois dedos acima do começo do osso nasal. O 6º chakra irradia
para frente. Polarização: yin. Funções: reconhecimento do nosso próprio caminho
dentro do contexto cósmico; cooperação significativa entre os órgãos e os
sistemas do corpo; habilidade de encontrar o lugar individual e mais apropriado
na vida; pensamento e cognição intuitivo e holístico;
transmissão e controle de energias espirituais; criação da realidade através da
força do pensamento; habilidade de ter visões; clarividência; acesso aos
arquivos akashicos; trabalhar para o bem do ambiente perceptível. Órgãos
relacionados e suas funções: olhos; ouvidos; nariz; cerebelo; controle do
sistema nervoso central; glândula pituitária; memória.

É o chacra dos sentidos e está situado na fronte, entre os olhos. O Chakra

Frontal atua diretamente sobre a hipófise. No campo da mediunidade, é ele o responsável
pela vidência, audiência e intuição. Atua ainda na área do raciocínio e da visão.

Laríngeo

Vishuddha
Nome Sânscrito: VISSOEDHA
Cor: Azul claro.

5º Centro Energético (Chakra Laríngeo)

Localização: na linha média do corpo na base da laringe. O 5º chakra irradia
para frente. Polarização: yang. Funções: individualidade; a personalidade
desenvolvida (a original); auto-expressão; inspiração; expansão mental;
transformação de medos e outras emoções opressivas em ações construtivas e
propositais; criatividade prática; comunicação; carisma; habilidades
mediúnicas; entendimento artístico e talentos relacionados; voz; gestos e
expressões faciais; paz da mente (calma meditativa). Órgãos relacionados e suas
funções: cordas vocais; órgãos respiratórios; laringe e pescoço; glândulas
tireóide e paratireóide; área da mandíbula; velocidade do metabolismo;
harmonização do crescimento físico/emocional/mental.
Situa-se à altura da garganta, sendo o
responsável pela saúde desta área: garganta e cordas vocais e vias
respiratórias - boca, nariz, traquéia e pulmões. É o chacra da comunicação

Cardíaco

anahata2
Nome Sânscrito: ANAHATA

Cor: Verde/Rosa

4º Centro Energético (Chakra Cardíaco)

Localização: aproximadamente duas mãos abaixo da garganta (área do coração). O
4º chakra irradia para frente. Polarização: yin. Funções: amor; tolerância;
piedade; gratidão; diplomacia; sentimento de pertencer a um grupo; empatia;
natureza romântica; alegria silenciosa; unicidade; família; amor próprio;
integração das várias partes da personalidade; trabalhar para o bem da família.
Órgãos relacionados e suas funções: coração; pulmões; porções endócrinas do
pâncreas; timo; sistema de defesa endógeno; desintoxicação através do
armazenamento em depósitos adiposos; circulação sanguínea; baços e mãos;
estados de relaxamento muscular.

Fica na altura do coração, um pouco à sua esquerda e acima. É ele quem dá o equilíbrio

vital e dos sentimentos e emoções. Sofre influência do Chacra Umbilical, que
responde pelas emoções e também do Plexo Solar.

Esplênico

manipura1

Cor: Amarelo

3ºCentro Energético (Chakra do Plexo Solar)

Localização:aproximadamente dois dedos abaixo do esterno na linha média do corpo.
Polarização: yang. Funções: poder; medo; habilidades organizacionais;
dominância; karma; separação; pensamento analítico e objetivo e o entendimento
intelectual; humor; dizer não; função do ego da personalidade. Conhecimento
intelectual; autoconfiança e sentimento de valor próprio; contentamento e falta
de satisfação; projeções no sentido psicológico. Órgãos relacionados e suas
funções: sistema digestivo; transformação do que é material para aquilo que é
sutil; metabolismo energético; excitabilidade; temperamento; desintoxicação
através de eliminação; transformação ou calcificação; fígado; estômago; funções
digestivas do pâncreas; plexo nervoso do plexo solar; sistema nervoso autônomo;
juntas; estados de tensão muscular.
É o chacra purificador do sangue e está localizado na altura do baço. É ainda o
chacra regulador da entrada de prana rosa pelo Duplo Etérico (corpo
intermediário entre o Perispírito e o Corpo Físico). Recebe energia diretamente
do Chacra Básico.

Umbilical

svadhi10

Nome Sânscrito: SVADISTHANA

Cor: Laranja

2º Centro Energético (Chakra Sexual)

Localização: aproximadamente dois dedos acima do osso pubiano, na linha média
do corpo. O segundo chakra irradia para frente. Polarização: ying. Funções: alegria
de viver; emoções que fluem de forma direta e livre de ponderação; encontros
(físicos); sensualidade em geral; erotismo; distribuição das forças vitais;
percepção instintiva; flexibilidade; surpresa; relacionamento com o corpo;
prazer; criatividade; entusiasmo; energia para atividades de longa duração.
Órgãos relacionados e suas funções: sistema urogenital; rins; intestino
delgado; pele; braços; tudo o que é fluido; absorção pelo metabolismo de
nutrientes e substâncias vitais.

Está situado à altura do umbigo, pelo lado direito. Vitaliza o esôfago, estômago, pâncreas, fígado,

vesícula, intestinos (todos os órgãos do aparelho digestivo). O Chacra
Umbilical é o responsável pelas emoções, aqui sempre são observados os
maiores reflexos do desequilíbrio espiritual.

Básico

Muladhara

Nome Sânscrito: MOELADHARA
Cor: Vermelho

1º Centro Energético (Chakra Básico)

Localização: base do
cóccix. O 1º chakra irradia para baixo, através do períneo, em direção à terra.
Polarização: yang. Funções: sobrevivência e auto- preservação no sentido mais
amplo da palavra; preservação da espécie; estrutura; aterramento; lidar com
restrições materiais; luta e fuga; vitalidade sexual; capacidade para o
trabalho; confiança básica; habilidade para agüentar estresse; fonte de força
vital para o organismo inteiro, bem como para o sistema energético; vontade;
energia para atividades de curta duração. Órgãos relacionados e suas funções:
tudo que é sólido no corpo, ossos, formação sangüínea, renovação celular,
dentes, glândulas supra-renais, anus, pernas e a vitalidade do sangue.

Atua sobre a coluna vertebral, sistema nervoso central e periférico, todo o aparelho urinário e

reprodutor. Fica na base da espinha dorsal, sobre a região sacra. É o
responsável pela captação de energia vitalizadora que mantém o nosso corpo.

Os

Chakras Secundários

O Chakra Yin: Este chakra controla os 2º, 4º e 6º

chakras principais. Possui uma função semelhante, mas nem de longe tão versátil
quanto à do 7º centro energético, o chakra da coroa. Possui uma conexão à
unicidade, com tudo que é yin no interior e no exterior.

O Chakra Yang: Este chakra

controla os 1º, 3º e 5º chakras principais. Possui uma função semelhante, mas
nem de longe tão versátil quanto o 7º centro energético, o chakra da coroa.
Possui uma conexão à unicidade com tudo que é yang no interior e no exterior.

Os Chakras de Nutrição/ Responsabilidade:

Estes centros energéticos regem todo tipo de responsabilidade, bem como a
nutrição, nas áreas materiais, energética e informacional.

Os Chakras das Palmas das Mãos:

Estes chakras expressam as energias de todos os outros chakras para o mundo
externo, na sua maior parte para os outros seres, bem como a percepção da
natureza física de outros seres.

Os Chakras dos Cotovelos: Estes

chakras regulam a intensidade dos relacionamentos. Por exemplo: a aceitação e a
colocação de limites.

Os Chakras dos Joelhos: Estes

chakras governam a habilidade de ensinar e aprender. Se virar ao encontro da
vida com todas suas conseqüências, ou para a morte.

Os Chakras dos Pés: Estes

chakras nos conectam a Terra ou com a Deusa da Terra, que é Grande Mãe. Possui
funções semelhantes aos chakras das mãos, entretanto, a orientação aqui é
primariamente a conexão com a terra ao invés de com os outros seres vivos; o
desenvolvimento harmonioso e aterrado da felicidade espiritual e material.

Na pulsação dos chakras – Como equilibrá-los

Quando os chakras estão equilibrados, eles giram em sentido horário e têm uma tonalidade

vibrante. Em desequilíbrio, ficam desorganizados e tornam-se turvos.
Enfraquecidos ou muito estimulados, podem trazer problemas emocionais e até
mesmo doenças. Porém, se forem mantidos em equilíbrio, são eficientes na
integração de corpo, mente e espírito.

1°chakra: básico - na base de coluna

Com este chakra, nos sentimos conectados a terra. Quando enfraquecido, traz insegurança

e baixa auto-estima. Superativado, provoca ganância e materialismo. No nível
físico, se relaciona a órgãos sexuais, ossos, intestino e sistema linfático. Em
equilíbrio, permite a rápida recuperação em situações de estresse e combate o envelhecimento
precoce.

Como equilibrá-lo: Use

roupas vermelhas ou mentalize a cor na região da base da espinha. Coma
alimentos ricos em
proteínas. Use perfume ou óleo essencial de cedro. Ande
descalço e aprecie a aurora ou o crepúsculo. Sons da natureza também ajudam a
ativá-lo.

2° chakra:

umbilical – abaixo do umbigo

O segundo chakra, ou Svadisthana (morada do Sol), é responsável pela expressão da energia

sexual e a satisfação dos prazeres. Regula ainda a vontade de ultrapassar os
obstáculos e a forma que encaramos nossos papéis na vida. Em desequilíbrio,
provoca depressão. Quando hiperativado dá ênfase exagerada à sexualidade.
Fisicamente, rege os sistemas de digestão e reprodução. Seu desequilíbrio pode
se refletir em problemas nos intestinos e em pressão baixa.

Como equilibrá-lo:

Imagine uma luz laranja iluminando a área abaixo do umbigo. Na alimentação,
reforce a ingestão de líquidos. Escolha aromas de sândalo. Para ativá-lo escute
melodias com instrumentos de sopro. Contemple o luar e mergulhe em rios e lagos
de água límpida.

3° chakra: plexo

solar – na altura do estômago

Também conhecido como Manipura (cidade das jóias), rege a auto-expressão e o modo como

nos posicionamos no mundo. É ele que permite que façamos o que nos dá alegria e
digamos “não” sempre que necessário. Enfraquecido, induz à submissão e à baixa
auto-estima. Superativado, compromete a tranqüilidade interior. No plano
físico, influencia os órgãos localizados entre o umbigo e o tórax. Os problemas
de saúde associados a esse chacra são má digestão, azia, úlcera e diabetes.

Como equilibrá-lo: Use

roupas e acessórios amarelos ou mentalize a cor envolvendo a região acima da
cintura. Coloque no cardápio alimentos amarelados, como milho e mandioquinha.
Invista em perfumes com toques de lavanda ou bergamota. Ouça música alegre e
dançante e caminhe ao Sol.

4° chakra:

cardíaco – no centro do peito
Os hindus chamam o
chakra do coração de Anahata. Localizado no centro do peito, transforma as
energias físicas dos chakras inferiores em espirituais, alimentando os chakras
superiores. Desestabilizado, causa problemas de tristeza e solidão. Pouco
energizado, dificulta a abertura para o amor. Já o excesso de energia leva à
busca de atenção e afeto a todo custo. No campo físico, está relacionado ao
coração, aos pulmões e a problemas circulatórios.

Como equilibrá-lo: Adote

os tons de verde-claro no vestuário ou mentalize-os iluminando seu peito na
altura do coração. Folhas e legumes são os alimentos mais indicados para
fortalecer esse chacra. Escolha aromas florais e ouça música clássica. Passeios
por parques e campos floridos são perfeitos para harmonizá-lo.

5° chakra:

laríngeo – na garganta

Situado na garganta, o Vishudha (purificação) é considerado o centro da auto-expressão.

Por meio dele, transformamos nossos pensamentos em impulsos dirigidos ao mundo
exterior. Seus bloqueios causam incapacidade de reconhecer as próprias
necessidades. Sem energia, imprime um caráter introvertido. Hiperenergizado,
faz o indivíduo ser crítico em excesso. Fisicamente, está relacionado a
problemas como rouquidão e otite.

Como equilibrá-lo:

Visualize uma faixa azul-celeste em volta do pescoço ou vista roupas e colares
nessa nuance. Coma frutas de todos os tipos. Entre os perfumes, adote o aroma
de eucalipto. Ouça músicas com cantos harmoniosos e observe o céu nos dias
claros.

6° chakra:

frontal – entre as sobrancelhas

Sede da intuição e do intelecto, esse chakra, Ajna (comando) para os hindus, fica

exatamente entre os olhos. Equilibrado, proporciona clareza mental e
criatividade. Enfraquecido e sem energia, traz confusão mental, ceticismo e
medo do futuro. Hiperestimulado, gera rigidez mental, arrogância e obsessões.
Em desarmonia, pode provocar enxaquecas ou sinusite.

Como equilibrá-lo:

Imagine uma luz azul-índigo na região da testa. Na dieta, escolha alimentos
ricos em vitamina B,
como ovos e leite. Use também perfumes que contenham hortelã e jasmim. O tipo
de música relacionado a esse chacra é a chamada new age. Ele ainda é estimulado
pela observação do azul-profundo do céu.

7° chakra:

coronário – no topo da cabeça

Batizado de Sahasrara (mil pétalas) está localizado no alto da cabeça e é a sede da

espiritualidade. Em equilíbrio, promove elevação da consciência. Sem energia,
nos desconecta do sentido espiritual da vida. Ativado em excesso, gera
prepotência, arrogância e medo da morte. Também está ligado ao funcionamento do
cérebro.

Como equilibrá-lo:

Concentre-se imaginando no alto de sua cabeça uma coroa nas cores violeta,
branca ou dourada. Procure entrar em contato consigo mesmo. Não há alimentos
recomendados para esse chacra, a não ser os do espírito, como a meditação.
Entre os perfumes, fique com o de lótus.
Busque seu equilíbrio fazendo caminhadas pelas montanhas.
MM

Sexto Chakra Terceiro Olho. Ajna - Tarefa e Funcionamento


Tarefa e funcionamento do sexto chakra.
"Através do sexto chakra ocorre à percepção consciente do ser, da Alma, da Divina Presença, do Espírito, ou Mônada. É a sede das forças mentais mais elevadas, do discernimento intelectual, da intuição, telepatia, da memória e da vontade, e constitui a central de comando mais elevada do sistema nervoso central, no nível físico.

Sua cor natural é o índigo claro, mas também tons amarelos e violeta são reconhecíveis. Essas cores mostram seus diversos modos de funcionamento em vários níveis de consciência.

O pensamento racional ou intelectual pode dar origem aqui a uma irradiação amarela. Um azul médio indica intuição e processo de compreensão integralizado.

A percepção extrassensorial é demonstrada pelo tom violeta.

Cada realização em nossa vida é antecedida por pensamentos e imaginações que podem ser alimentados por padrões emocionais inconscientes ou também pela compreensão da realidade. Através do Terceiro Olho estamos ligados ao processo da manifestação por meio da força do pensamento.

Nos seres humanos estão contidos todos os planos da criação, desde o ser puro até a matéria condensada, representados pelos diferentes níveis de vibrações dos chakras. Assim, o processo da manifestação também ocorre em nós e por meio de nós.

Uma vez que o Terceiro Olho é a sede de todos os processos de conscientização, recebemos aqui a faculdade de manifestar, indo até a materialização e desmaterialização. Podemos criar novas realidades no plano físico e destruir antigas realidades.

Via de regra, esse processo ocorre de modo automático e sem qualquer empenho consciente da nossa parte. A maioria dos pensamentos que determinam a nossa vida, nosso destino e é guiada pelos nossos padrões emocionais não resolvidos e programada por conceitos e preconceitos próprios e de estranhos. Desse modo, muitas vezes nossa mente não é o senhor, mas o servo dos nossos pensamentos cheios de emoções que em parte podem nos dominar. O controle das emoções, dos desejos impulsivos e instintivos egoístas e destrutivos acontece quando a Alma assume o comando da nossa vida e se integra à Unidade para servir para o bem de todos.

Mas também esses pensamentos se tomam reais na nossa vida, pois aquilo que percebemos e experimentamos exteriormente é, em última análise, sempre uma manifestação da nossa realidade subjetiva.

Com o desenvolvimento da consciência e com a crescente abertura do Terceiro Olho, entramos em contato com a Alma e assim, assumimos conscientemente o controle da nossa Personalidade e assim é possível dirigir esse processo de forma cada vez mais consciente. Nossa imaginação, cria então a energia para a realização de uma idéia ou de um desejo. Junto com um chakra do coração aberto podemos agora também irradiar energias de cura e efetuar curas a distância.

Ao mesmo tempo, conseguimos acesso a todos os níveis da Criação que se encontram por trás da realidade física. O conhecimento a esse respeito nos vem em forma de intuição, de clarividência e de clariaudiência. Aquilo que antes talvez havíamos pressentido vagamente toma-se agora uma percepção clara.

Funcionamento harmônico

Existem, na nossa época, muito poucas pessoas cujo Terceiro Olho está totalmente aberto, pois seu desabrochar é sempre acompanhado de um avançado desenvolvimento da consciência. Todavia, encontramos aqui o fenômeno, ainda mais nitidamente expresso do que nos chakras já descritos, do funcionamento harmônico do sexto chakra, mesmo que ele ainda não esteja totalmente desenvolvido.

Isso é demonstrado através de um intelecto desperto e de destreza mental. Uma pesquisa científica feita de modo integral tanto pode ser indício de um Terceiro Olho parcialmente aberto e de funcionamento harmônico quanto da compreensão de profundas verdades filosóficas.

Talvez você também tenha uma bem-desenvolvida habilidade de visualização e entenda muitos relacionamentos de modo intuitivo. Sua mente está concentrada e ao mesmo tempo aberta para verdades místicas. Reconhece cada vez mais que a aparência externa das coisas é relativa, um símbolo no qual se manifesta um princípio mental no plano material. Seu pensamento é levado pelo idealismo e pela fantasia. Talvez perceba também, de vez em quando, que seus pensamentos e sonhos se realizam espontaneamente.

Quanto mais o seu Terceiro Olho se desenvolver, sua inteligência expande e tanto mais o seu pensamento estará assentado sobre uma compreensão direta e interior da realidade, e da Unidade.

Cada vez mais pessoas estão começando a desenvolver parte das faculdades do sexto chakra, tais como a clarividência e a clariaudiência em determinados planos de existência, enquanto outras conseguem ter lampejos de outras dimensões da realidade, como, por exemplo, durante a meditação ou em sonhos.

Contudo, descrever o alcance total das faculdades e das percepções que um Terceiro Olho aberto transmite não é possível. Isso encheria vários volumes e precisaríamos nos apoiar sobremaneira na informação de outras pessoas. Mesmo assim, gostaríamos de lhe proporcionar uma visão geral sobre aquilo que o espera com um sexto chakra totalmente desenvolvido.

Primeiro, você vê o mundo de uma nova maneira. Os limites da sua compreensão racional agora estão totalmente ultrapassados. Seu pensamento é holográfico, e você ativa espontaneamente o processo de reconhecimento de todas as informações que lhe chegam dos mais diferentes âmbitos da Criação.

O mundo material ficou transparente para você. É um espelho para a dança das energias que ocorre nos planos mais sutis da criação, assim como a sua consciência é um espelho no qual o Ser divino se reconhece.

Sua percepção extrassensorial é tão clara a ponto de poder perceber diretamente as forças que estão em ação por trás da superfície das aparências externas, e você está em condições de dirigir conscientemente essas energias e de criar formas pessoais de manifestação dessas forças. Nesse aspecto, todavia, você está condicionado a certas leis cujos limites não pode ultrapassar, de modo a ser mantida uma ordem natural.

Sua intuição e visão interior abrem-lhe o caminho a todos os níveis mais sutis da realidade. Você reconhece que entre o plano da Criação material e o ser puro existe um número infindável de mundos, habitados pelos mais diversos tipos de entidades.

Um drama de Criação múltiplo desenrola-se diante do seu olho interior, e parece que não há fim para as sempre novas formas e níveis de realidade. Você sente um profundo respeito diante da grandeza desse espetáculo divino, você respeita o espaço e o direito do outro.

Com o Terceiro olho aberto, com os olhos abertos você começa a sentir que faz parte da grande família universal, você elimina preconceitos e discriminação. Você sente que são irmãos e que devemos contribuir para o bem de todos.

Funcionamento desarmônico.

O resultado mais comum do funcionamento desarmonioso, nesse caso, é a “rigidez mental”. Você é urna pessoa que vive quase que exclusivamente através do intelecto e da razão. Ao tentar resolver tudo pelo intelecto, faz valer apenas as verdades que o seu pensamento racional lhe transmite. Sua visão fica limitada pelo egocentrismo. Suas capacidades intelectuais são, possivelmente, bastante desenvolvidas, e tem o dom de analisar nitidamente; contudo, falta-lhe a visão unificada e a habilidade da integração num grande conjunto cósmico.

Assim, ocorre facilmente certa arrogância intelectual. Você deixa apenas prevalecer aquilo que é compreensível para o intelecto e que pode ser provado e confirmado através de métodos científicos. O conhecimento espiritual é rejeitado como irreal e contrário às leis científicas.

Também a tentativa de influenciar pessoas ou objetos através da força do pensamento, do fanatismo, a fim de demonstrar o próprio poder ou para satisfazer necessidades pessoais, enquadra-se no âmbito do funcionamento desarmônico do Terceiro Olho. Aqui, via de regra, o chakra do plexo solar está simultaneamente perturbado e os chakras cardíaco e coronário são pouco desenvolvidos.

Quando o Terceiro Olho, apesar de alguns bloqueios, estiver relativamente bem aberto, essas tentativas poderão ser bem-sucedidas, embora não estejam em concordância com o fluxo natural da vida. Ocorre uma sensação de isolamento, e a satisfação desejada não é atingida.

Um outro efeito de energias mal dirigidas no sexto chakra ocorre quando o chakra da raiz, e com isso o contato com a terra, com a realidade fica perturbado, e quando também os demais chakras estiverem bloqueados no seu funcionamento harmônico.

Poderá então acontecer que, embora tenha acesso aos níveis mais sutis da percepção, você não reconheça as imagens e informações recebidas com o seu verdadeiro significado.

Elas se misturam a seus sonhos e fantasias, originárias dos seus padrões emocionais e crenças não trabalhados. Essas imagens expressas subjetivamente poderão então se tomar tão dominantes a ponto de você considerá-las como a única verdade, de projetá-las no mundo exterior e de perder o fio da realidade.

Hipofuncionamento.

Caso o fluxo das energias do sexto chakra esteja muito bloqueado, então apenas o mundo exterior, visível, lhe aparece como realidade. Sua vida é determinada por desejos materiais, necessidades físicas e por emoções irrefletidas.

Análises mentais são consideradas cansativas e inúteis. Verdades espirituais são rejeitadas, pois lhe parecem constituídas de sonhos ou de fantasias sem nexo, destituídas de finalidade prática, ou pode ser um fundamentalista radical. Seu pensamento orienta-se consideravelmente pelas opiniões da atualidade.

Em situações de grande desafio, você perde facilmente a cabeça. Possivelmente também é bastante esquecido. Os distúrbios da visão, que frequentemente acompanham o mau funcionamento do sexto chakra é um indício de que você deve olhar mais para o seu interior, para conhecer também as áreas que estão por detrás da superfície visível.

Em caso extremo, seus pensamentos poderão ser obscuros e emaranhados, e ser totalmente orientados pelos seus padrões emocionais. Não admite ser contestado e pode até dominar um assunto, ou um fundamento religioso, e pode revelar uma a mente fechada para outras verdades.

Possibilidades de purificação e de ativação do sexto chakra

Contato com a natureza
O Terceiro Olho é estimulado pela observação de um céu noturno, de um azul bastante escuro e profusamente estrelado.

Essa experiência da natureza abre a mente para a infinita extensão e profundidade da Criação manifestada, com suas imensuráveis variadas formas de expressão, e deixa pressentir as forças sutis, as estruturas e as leis, representadas pelos corpos celestes e sua dança na amplidão do espaço, e que também estão por trás dos fenômenos externos da nossa vida nesta Terra.

Terapia dos sons

Forma de Música: Todos os sons que acalmam e abrem a sua mente, e que provocam imagens ou impressões de natureza cósmica, são apropriados para a “animação” e a “harmonização” do chakcra frontal.

Na música New Age, você encontrará essas composições com mais facilidade. Mas também muitas músicas clássicas do Oriente e do Ocidente, sobretudo as de Bach, podem atuar dessa forma.

Vogal: O chakra frontal é ativado pela vogal “i”. Ela é cantada no Lá da escala musical. O “i” gera um movimento dirigido para cima. Representa a força da inspiração, que sempre o leva a novas compreensões.

Mantra: KSHAM.

Cromoterapia

O índigo transparente abre e clareia o sexto chakra e confere à mente paz interior, clareza e profundidade. Além disso, fortalece e cura os sentidos, abrindo-os para os níveis mais sutis da percepção.

Terapia das pedras preciosas

Lápis-Lazúli: Na cor profundamente azul do lápis-lazúli estão distribuídas, semelhante às estrelas no céu noturno, incrustações de pinta dourada. Ele transmite à alma a experiência da proteção no Cosmos, abrindo-a para a vida eterna no universo. Atrai a mente para o interior, fortalece seu poder e ajuda-a na compreensão dos relacionamentos mais elevados.

Promovendo a intuição e a visão interior, deixa reconhecer o sentido oculto, bem como as forças que atuam sem que as percebamos. Além disso, proporciona uma profunda alegria com a maravilha da vida e do universo.

Safira Índigo: A safira clara e transparente abre a mente para o conhecimento cósmico e as verdades eternas. Suas vibrações provocam a purificação, a transformação e a renovação da alma e da mente. Ela forma uma ponte entre o finito e o infinito, deixando a consciência fluir com o rio do amor e da compreensão divina. Também proporciona à alma clareza no caminho espiritual.

Sodalita: A sodalita de cor azul-escura clareia o intelecto e capacita-o a pensamentos profundos. Sua irradiação suave confere desprendimento e fortalece os nervos. A sodalita também ajuda na dissolução de antigos padrões de pensamento, proporciona confiança e força para defender o próprio ponto de vista, e para transferir ideias e conhecimentos para o cotidiano.

Aromaterapia.

Hortelã: O odor refrescante da hortelã dissolve os bloqueios na região do Terceiro Olho e ajuda na dissolução de velhas e estreitas estruturas de pensamento. Proporciona à mente clareza e vivacidade, promovendo a força de concentração.

Jasmim: Por meio do odor sofisticado do florido jasmim, a mente se abre para imagens e visões que trazem em si mensagens de profundas verdades. Suas vibrações aperfeiçoam a percepção e ligam as energias do Terceiro Olho às do chakra do coração.

Jnana-Ioga: A Jnana-Ioga é o caminho para a compreensão, baseado no desenvolvimento da capacidade de discernimento mental entre o real e o irreal, entre o eterno e o passageiro".

MM